domingo, 28 de junho de 2009

Até breve, África!

Passaram-se 19 dias desde nossa partida do Brasil. Uma experiência vivenciada diretamente com o futebol e o povo africano. Esse mesmo povo que tão bem recebe seus visitantes e se discrimina entre si. A história da África do Sul, e do continente como um todo, é muito rica e marcada pela luta e discriminação. O racismo é algo enraizado na sociedade e que jamais deixará de existir. São dois países em um só: o dos negros e o dos brancos. Na preferência pelo esporte também se vê a distância entre as raças. O negro gosta e pratica o futebol, ao contrário do branco que aprecia o rugby. A Copa das Confederações já serviu para ambos se permitirem, e a esperança é que o número de brancos aumente consideravelmente nos estádios da Copa do Mundo, como de fato ocorreu agora. Tivemos nesses dias de África um banho de cultura e aprendizados, algo que tentamos dividir com nosso leitor, ouvinte e internauta. Nos despedimos agradecendo as empresas que acreditaram em nosso trabalho: Shop Car, Sebbo Mariense, Netur Viagens, Dik Computadores, Utilidades Mil e Sul Lodi. É através desse timaço de patrocinadores que fizeram a bola rolar em 2009, e que vão anunciando uma grande cobertura jornalística para 2010. Da África saímos com o título da seleção de Dunga e a confirmação do grande prestígio brasileiro fora de nosso território. O povo africano se desmancha para receber brasileiros e mostrar que são fãs do nosso futebol e do nosso ritmo. Um longo caminho em um curto tempo. Assim podemos definir a situação da África do Sul para receber 32 seleções e olhares do mundo todo em 2010. Falta segurança, transporte, hospedagem, alimentação e uma série de quesitos que se alteram entre si na ordem de importância. O que tem de sobra, e essa é a razão fundamental, é o entusiasmo dessa gente, apaixonada por futebol, vuvuzelas e festa nos estádios. É por eles que torcemos para que a África do Sul trabalhe duro esse ano e se aproxime ao máximo da infraestrutura desejada. Rodamos de automóvel cerca de 2500 Km, de norte a sul, conhecemos lugares fantásticos e pessoas extraordinárias. Pontos turísticos e alguns outros pouco explorados em regiões menos desenvolvidas despertaram o senso crítico e o olhar atento à muitas melhorias. A África se prepara para o futuro e o mundial do ano que vem está sendo encarado como um divisor de águas. Em todas as estradas do país, e muito melhores que as nossas do Brasil diga-se de passagem, trabalhadores se revezam em alargamentos, desvios e construção de grandes vias. Um verdadeiro canteiro de obras visando o futuro, sem falar no poder econômico com grandes indústrias. Um país onde carros de luxo são oferecidos a preços quase que populares e onde o povo encara a vida com muito otimismo. Finalizo a etapa inicial deste projeto, e não posso deixar de agradecer publicamente ao Carlito, que confiou na continuidade desse trabalho que ele realiza desde 1982 em coberturas de mundiais. Como profissional isso é de extrema importância para mim, saber que aqui estive representando os nossos veículos e projetando mais uma vez nossa marca de pioneirismo no jornalismo gaúcho. Meu muito obrigado e espero ter correspondido a altura. Saio daqui com a imensa certeza que em 2010 nosso trabalho terá uma repercussão ainda maior com aperfeiçoamento e com o brilho que sempre marcou nossas coberturas internacionais. Agradeço também as pessoas que durante esse período manifestaram a sua audiência e o seu carinho. O meu sincero muito obrigado! Vocês são os combustíveis do nosso trabalho.

No choro de Lúcio


Que seleção essa de Dunga! Que poder de reação... Sábio Dom Elias Figueroa. Dois a zero e intervalo na maioria das vezes não combinam, e ainda mais contra a seleção brasileira. O atacante Luís Fabiano, após baixo rendimento no primeiro tempo, mostrou o porquê deverá estar na Copa do Mundo de 2010. Juntamente com ele outros tantos que desfilaram seu futebol nesse torneio vão carimbando o passaporte e arrumando as malas. Lógico que dependerá de um ano estável e de muito trabalho para todos os jogadores em seus clubes, porém a base está praticamente pronta. Dunga vem amadurecendo como técnico e lapidando o grupo e sai muito fortalecido da África do Sul, com o título e com a ascensão no comando técnico. O choro de Lúcio ao final da partida simboliza a indignação e a vontade dos jogadores brasileiros. Esse é o espírito que foi devolvido à seleção brasileira.

Caos no transporte


O caos no transporte público africano é total. Não existem linhas de ônibus municipais, ou se existem pouco se vê. Juntamente com a segurança, o transporte está sendo uma grande preocupação para a Copa o Mundo de 2010. Percorrendo as longas avenidas percebemos a existência de vans (foto), os chamados "perueiros" que efetuam o transporte de pessoas. São milhares dessas vans que trafegam dia e noite pelas ruas da cidade. Nesta semana, questionado sobre o transporte, o presidente da Fifa Joseph Blatter, admitiu a falta de estrutura e falou que providenciará uma reunião com os perueiros para organizá-los para o mundial. Outro fator abordado na entrevista de Blatter foi a longa distância entre as sedes, o que dificultará a locomoção de torcedores. Vamos exemplificar: Caso o Brasil jogue a primeira partida em Bloemfontein e a segunda em Pretória, como aconteceu esse ano, a distância que será percorrida será de cerca de 400km. Até aqui é possível, porém é inviável caso a seleção jogue no Cabo, ditante mais de 1000 km da capital. Blatter foi categórico e afirmou manter essa decisão pois cada região merece ver mais de uma seleção. Imagino em 2014 um jogo de alguma seleção em Manaus e o segundo em Porto Alegre. Será para assustar qualquer gringo.

Digno de um mundial


No início da tarde deste domingo, manhã no Brasil, estivemos conhecendo as obras do Soccer City, principal estádio da Copa de 2010 em construção na cidade de Johanesburgo. Uma colossal obra que lembra muito o Allianz Arena, ou pneu prateado de Munique na Alemanha. As obras parecem bem adiantadas e um amplo espaço nas imediações permite estacionamento e vias rápidas de acesso. Sem dúvida está a altura de uma Copa do Mundo de futebol.

sábado, 27 de junho de 2009

O Brasil que todos queremos


Foi devolvido a seleção o status e o privilégio de estar vestindo o manto canarinho. Mais uma final na vida de todos nós brasileiros. Amanhã no Ellis Park, Brasil e Estados Unidos decidem a Copa das Confederações 2009. Com uma campanha regular e um grupo preparado para grandes adversidades, a seleção de Dunga está fechada com o técnico e vai definindo os nomes para o mundial do ano que vem. Tudo indica que os jogadores que aqui estão, com algum acréscimo ou substituição, estarão representando o Brasil em mais uma Copa do Mundo. A Copa das Confederações serviu não só de preparação para o país sede, como também para saber o poder de fogo do grupo de Dunga e Jorginho. O que estamos observando aqui é muito diferente de algumas situações que já presenciamos em que privilégios e paparicação invadiam o vestiário brasileiro. Há tempos não víamos jogadores com gana e vontade de jogar na seleção. Um grupo com a cabeça focada e os pés no chão a fim de serviço e não importando o adversário. O mérito é todo de Dunga que vai ganhando notoriedade e notado apoio da imprensa brasileira. Amanhã no Ellis Park, se a lógica prevalecer perante a zebra, o Brasil de Kaká e cia levantará mais um caneco. Na foto o momento do gol de Daniel Alves que garantiu a classificação brasileira para a grande final.

África da discriminação


O custo de vida na África do Sul é muito baixo. Em qualquer canto do país a gente encontra concessionárias de automóveis de luxo como Lamborguini, Aston Martin (carro do agente 007), Ferrari, Porsche, Mercedes (foto), Audi e BMW. Por aqui qualquer pessoa pode ter uma BMW, por exemplo, que custa cerca de 40 mil reais novinha em folha. O Audi é carro popular. Na tarde de hoje conhecemos um casal de brasileiros, natural de Santa Catarina, que mora aqui há 3 anos e meio. Entre os assuntos quis saber sobre a desigualdade e o valor do salário mínimo. Fiquei surpreso com o que ouvi. O preconceito, leia-se racismo, é tão grande a ponto do salário do branco ser equivalente a 1.600 reais e do negro 600 reais, não importando qualificação. Os negros são tidos como preguiçosos. Sabia do abismo social vivido aqui, porém não achei que chegava a tal ponto. Um país rico com um desenvolvimento absurdo e regiões que podem se comparar com países de primeiro mundo, ainda conviver com isso? Algo inimaginável. Confesso que ainda vou procurar saber mais sobre esse assunto.

Terra dos elefantes


Na tarde deste sábado estivemos no Santuário dos Elefantes, distante cerca de uma hora de Johanesburgo. Podemos conhecer de perto os gigantescos animais e tocá-los. Uma experiência extraordinária.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Contra o racismo


Bonito o momento proporcionado pelas duas seleções na noite fria de Johanesburgo. O racismo, seja ele de qualquer forma, precisa ser reprovado a todo momento. Os africanos principalmente, sentiram na pele duros tempos de discriminação. Abaixo do esperado para um jogo que decidiria vaga a final, o público vibrou com a iniciativa e aplaudiu em pé. Golaço!

Vitória no final e méritos de Dunga


Um jogo que alternou momentos interessantes e de pouca produtividade. A Seleção Brasileira quase esbarrou na bem montada seleção Bafana Bafana de Joel Santana. No primeiro tempo as melhores chances foram dos africanos que cumpriram o prometido de Joel. Primeiro começou se defendendo e depois gostou do jogo e atacou. Acho que Dunga deveria ter mexido no time já nos 20 da segunda etapa, e quando estranhei a placa de substituição fui logo reclamando do técnico. Pois não é que a estrela do capitão do tetra brilhou. Sai o lateral esquerdo André Santos e entra o direito Daniel Alves. Estranho não? O resultado foi uma perfeição cobrada aos 42 minutos da segunda etapa que definiu a passagem do Brasil para a grande final da Copa das Confederações contra os Estados Unidos. Um jogo em que quase nada deu certo para a seleção, só o resultado. Em sua entrevista coletiva após a partida, Dunga explicou a substituição e afirmou ter pensado especificamente nas cobranças certeiras de Alves. Mexeu e acertou. Aguenta agora...

Tudo pronto

O "Dia do orgulho Africano" chegou. O jogo de logo mais contra a seleção brasileira está deixando a nação africana, de um modo geral, em clima de êxtase. Vencer o Brasil é muito difícil e eles sabem disso, porém o exemplo dos Estados Unidos está vivo em todas as rodas de conversas. Chegamos por volta das 13h aqui em Johanesburgo. Durante o vôo conhecemos um senhor que estava vestido com a camiseta da seleção Bafana Bafana que assistiria o jogo no Ellis Park. Aqui tem um detalhe que sintetiza o espírito da população. Esse senhor mora na Cidade do Cabo e assistiu a todos os jogos do Brasil no estádio, além de saber de cabo a rabo a escalação da equipe de Dunga. Isso é paixão pelo futebol brasileiro. Se vencer não for possível, se juntará aos brasileiros madrugada a dentro para comemorar a vaga na grande final.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Chuva ou sol: obras seguem


O tempo além de prejudicar nosso trabalho aqui também dificultou a vida de quem trabalha nas obras visando o mundial de 2010. Em minhas participações na programação da Vang FM, enalteço o trabalho dos profissionais que suam de domingo a domingo, faça chuva ou sol. Hoje não foi diferente. O tempo varia aqui em uma dezena de minutos. O sol aparece timidamente e logo após vem a chuva e o tempo fecha novamente. Chega ser engraçado, pois são vários dias no mesmo dia. Você bate uma foto e alguns minutos depois parece que não foi no mesmo dia, tão brusca é a mudança de tempo. Mas o trabalho continua e tudo indica que a Cidade do Cabo será a sede que mais terá recursos de infraestrutura, segurança e até atrações. No post a foto das obras nas proximidades do estádio.

Espanha fora

Por essa ninguém esperava. Os espanhóis caíram nos Estados Unidos. Nenhum cronista esportivo, sem excessão, imaginou uma vitória americana na semifinal da Copa das Confederações. Uma vitória que coloca uma certa responsabilidade nas costas dos brasileiros, pois diante dos donos da casa estão sendo apontados como favoritos, e nem poderia ser diferente. A badalação que estava em torno da Espanha era algo fora do comum. A imprensa espanhola enaltecia o futebol e escondia as noitadas do grupo pela África do Sul, antes e após as partidas. Isso me lembrou os tempos de Parreira na seleção brasileira em 2006. Futebol é jogado e se decide nos 90 minutos. Nesse momento também é importante citar o caso da dupla GreNal. O Inter não está morto diante do Corinthians como muita gente está achando. O colorado fará de tudo para reverter no Beira Rio, pois força e camisa tem. Já o Grêmio, que logo mais enfrenta o Cruzeiro, está sendo dado como mero coadjuvante de uma semifinal. Está faltando respeito com os gaúchos e isso precisa ser levado até os atletas. Futebol está mais que provado: é no campo. De resto sobra o salto do tamanho da Table Montain (montanha em forma de tábua em Cape Town) adotado pelos espanhóis.

Abaixo do esperado


De certo modo, nossa passagem por Cape Town foi abaixo do esperado. Explico. Desde o dia em que chegamos o tempo em nada colaborou com nossos objetivos na terra do sol e mar. Pelo contrário, chuva e vento marcaram nossa estada no ponto turístico mais apreciado da África do Sul. No dia de hoje o amanhecer nos dava a impressão que seria um dia lindo de sol. Poucas nuvens e vento calmo nos colocariam no caminho dos principais pontos estabelecidos em pauta para conhecermos: Vinhedos e Table Montain, o paredão de rochas onde se pode ver toda a orla de Cape Town. Mas como o tempo aqui muda muito rápido, em alguns minutos a chuva veio e estabeleceu-se novamente a instabilidade. Um pouco chovia, ventava e outro menos saia um raio de sol. Uma pena pois queríamos muito averiguar de perto as obras do estádio de 2010 e conhecer lugares tidos como fantásticos. Amanhã no Espaço Plural reproduzirei um bate papo com Beatriz Feddersen, responsável pelo contato com os clientes aqui em nosso hotel. A angolana nos contará sobre os preparativos para o mundial de 2010. Vale a pena conferir.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Por dentro do aquário


Com a chuva que cai e o vento que faz na Cidade do Cabo, nos resta conhecer alguns pontos turísticos cobertos, como o Two Oceans Aquarium. Um local muito bonito que atrai turistas para conhecer diversas espécies marinhas. Peixes enormes, tubarões e alguns crustáceos fazem parte do acervo vivo, localizado no Porto Victoria e Alfred Waterfront. Tanques de vidros e uma grande estrutura montada permitem ao visitante entrar em túneis repletos de peixes. Um passeio fascinante e que custa cerca de R$ 21,00.

"Mais do que sucesso: milagre"


Assim está sendo tratada a Copa das Confederações da África do Sul pela imprensa do país. Na edição dominical de um grande jornal sulafricano, a manchete acima e uma grande reportagem, estampavam o que nem nós imaginávamos. Eles não acreditavam em seu poder de fogo para a realização dos jogos de 2009. Conforme estamos citando em nossos boletins ou em matérias do JM e do blog, muito tem a se fazer para o país estar pronto para a Copa do Mundo. Tenho a impressão que nas grandes cidades como Johanesburgo e Cidade do Cabo, a questão estará mais bem desenvolvida. Já Pretória precisa de reparos urgentes no palco dos jogos. Uma simples comparação: quem conhece o Olímpico ou Beira-Rio em Porto Alegre, tenha a certeza que sem nenhum tipo de reparo já é possível realizar um mundial como a África prepara. Existe espaço nas imediações do estádio, praças de alimentação e ambos gramados são os melhores do Brasil. Restam ainda exatos 12 meses, mas milagre ninguém faz e o que veremos por aqui no ano que vem será apenas uma sensível melhora na infraestrutura.

Contrastes


O turista que deseja passar a lua de mel com sua esposa na Cidade do Cabo, ou até mesmo comprar pacotes turísticos incluindo a bela cidade, não tem mínima noção do que é a África do Sul. Pelo contrário. O pedacinho de Europa, com ruas bem cuidadas, vegetação singular e povo civilizado, em nada lembra o interior deste país. Existem regiões onde a desigualdade é visível logo na entrada das cidades. Lógico que não podemos comparar a Cidade do Cabo com Rustemburgo, por exemplo, os grandes centros mostram um desenvolvimento muito mais acentuado que as demais regiões. Os grandes centros que eu falo são: Johanesburgo, Pretória, Durban e Cape Town (Cidade do Cabo). Não teremos tempo de conhecer Durban, porém ouvimos falar muito bem desta cidade litorânea e que também será sede dos jogos do ano que vem. Aqui na Cidade do Cabo não se vêem ambulantes como na capital e demais cidades que visitamos (foto). Na quinta-feira cedo, 09h é nosso vôo, saímos daqui do Cabo e seguiremos novamente à Johanesurgo, palco do grande jogo entre Brasil e África do Sul. Com uma vitória a seleção de Dunga vai a final e poderá ser novamente campeã.

Contagem regressiva


Próximo ao porto Victoria e Alfred Waterfront, uma grande tela envolta a uma bola de metal está contando regressivamente os dias e as horas para o início da Copa do Mundo de Futebol. Ao olhar para o relógio, ao fundo, já se avista o monumental estádio que receberá jogos do mundial. Tudo já é copa, desde material promocional em lojas até nas ruas da Cidade do Cabo. Aqui, mesmo com chuva, trabalhadores se revezam nas obras de alargamento de avenidas, construção de passarelas e serviços de arborização e jardinagem visando 2010. O clima da copa vai contagiando os africanos.

Mar revolto


Segue o tempo ruim na Cidade do Cabo. Uma pena! Desde o dia em que chegamos muito vento, chuva e frio fazem na cidade mais linda da África do Sul. Isso acaba nos impedindo de conhecer lugares turísticos e realizar reportagens que estavam em nossa pauta, como a visita a região dos vinhedos. Com chuva é impossível. Na manhã desta terça-feira, madrugada no Brasil, o vento era tamanho que as aves a beira do mar não conseguiam voar com suas próprias forças e eram arremessadas pelas rajadas. O mar da Cidade do Cabo estava revolto e não poderia ser pra menos. O frio também anda castigando os turistas. Estamos hospedados no Ritz Hotel e percebemos uma grande movimentação de algum clube, sem sabermos qual o esporte. No almoço de hoje ficamos sabendo que aqui está sendo disputado um campeonato de Rugby, um esporte tradicional na África do Sul. Não sabemos se é campeonato, liga ou alguma etapa, mas a movimentação de pessoas uniformizadas em shoppings e mols aqui na Cidade do Cabo é muito grande.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Um gigante a beira do oceano


As obras do estádio da Cidade do Cabo estão a pleno vapor. Com pouco menos de um ano para os jogos, a cidade também se prepara estruturalmente para receber seleções e turistas. Os africanos residentes no Cabo vibram com a realização do mundial de 2010 e o estádio é motivo de orgulho, visto sua imponência perante o mar. Observadas à longa distância as obras parecem estar atrasadas. Nos próximos dias tentaremos conhecer o interior do estádio para analisar o tempo para a conclusão da obra. A rede hoteleira é muito boa e as belezas naturais falam por si só. Realmente aqui é um dos lugares mais bonitos do país com traços de modernidade devido a influência holandesa e britânica na época da colonização. Muitos edifícios antigos bem conservados contrastam a modernidade com a história através de uma arquitetura de preservação. A Copa do Mundo já está por toda a parte com material de divulgação, outdoors e relógios que contam regressivamente o início do mundial. Uma cidade onde a noite tudo funciona e com inúmeras atrações, conhecida inclusive por ser o ponto turístico mais importante do país e o quarto maior centro urbano.

Cape Town continua linda...


É assim que deveremos tratar a Cidade do Cabo, parafraseando até sentenças que enaltecem o Rio de Janeiro no mundo todo, afinal aqui é conhecido como o Rio de Janeiro deles. Chegamos hoje cedo por volta das 10h. Após um vôo tranqüilo nos dirigimos até uma agência de aluguel de carros e partimos para o nosso hotel. No trajeto já percebemos uma forte movimentação de trabalhadores em obras, seguindo o padrão já visto em outras regiões no que diz respeito ao trânsito. Esse parece ser o quesito que mais a África avança, pois em todo o interior e na capital existem alargamentos de faixas e construção de imensas estradas visando a Copa do Mundo de 2010. O dia esteve nublado e uma forte chuva caiu sobre o Cabo no final da tarde. Ficaremos aqui até quinta-feira, onde voltaremos à Johanesburgo para acompanhar a partida do Brasil contra os donos da casa pelas semifinais da Copa das Confederações. Será sem dúvida uma grande festa do futebol.

domingo, 21 de junho de 2009

Que jogo amigo!


Em qualquer das circunstâncias que qualquer uma das seleções esteja, pode ser hoje, amanhã ou daqui a 50 anos, Brasil e Itália nunca será jogo jogado para nenhum lado. Essa partida poderia estar valendo bem menos do que valerá logo mais no Loftus aqui em Pretória, visto que a classificação da Itália dependerá de um resultado positivo perante o Brasil, o que a Azurra já poderia ter encaminhado. A Seleção Brasileira matematicamente ainda pode perder a classificação, mas a possibilidade é a mesma que o Egito ser campeão do torneio. Quase nula. Estará em jogo nove títulos mundiais de futebol e a hegemonia das duas seleções que mais ergueram taça em copas do mundo. Quer mais razões para estar atento a cada movimento deste jogo? Os olhos do futebol mundial estarão voltados para Pretória e a bola promete ser bem tratada no jogo de logo mais. A caminho do estádio. Canarinho ou Azurra? Como diria Galvão Bueno: "Que jogo amigo!".
EDITADO
Uma partida onde a seleção mostrou a superioridade desde seu início. Assim foi o Brasil de Dunga contra a Itália. O placar de 3 a 0 foi construído todo no primeiro tempo e através do saldo, surpreendentemente quem classsificou para semifinais foi os Estados Unidos. Uma partida memorável do Brasil que enfrenta os donos da casa na quinta-feira. Como já havia previsto, uma grande festa do futebol se avizinha.

sábado, 20 de junho de 2009

Chefe em casa!


O objetivo de nossa passagem em 2009 pela África do Sul, além de acompanhar a seleção brasileira de futebol, é preparar o caminho para o ano que vem. A Vang FM e o JM, todos sabem, sempre estiveram presentes em Copas do Mundo de futebol com repórter próprio, e em algumas outras coberturas até então inimagináveis para a imprensa do interior de um estado. Neste ano a idéia de estar na Copa das Confederações, é justamente seguir este espírito que sempre norteou a ideologia empresarial do rádio e jornal e desbravar mais esta barreira. Todos se assustam quando me identifico ao realizar uma entrevista. Assim foi com Neto e Luciano do Vale, Vitorino Chermont e toda equipe do Sportv, personalidades e alguns torcedores. "Veja como o mundo é pequeno! Você aqui no meio da estrada nos entrevistando". Assim proferiu o craque Neto. Da mesma forma como fui questionado como era feito o trabalho de blog, boletins e matérias para o jornal pelos jornalistas do Sportv. Ainda brinquei: "Jornalista é Jornalista em qualquer lugar! Agora, com a internet, até nossas fontes podem ser iguais!".




**********



Andando pelas estradas em construção, ou em entroncamentos de qualquer cidade, encontramos ambulantes vendendo carregadores de celular, bandeiras, bonés, cds e dvds. Tudo igual em qualquer parte do mundo. Em alguns países mais, outros menos. Mas o recado aqui neste post é para o jornalista Carlito. Estou aqui conhecendo o território para estarmos mais seguros de nossos passos no ano que vem na realização da cobertura jornalística da Copa do Mundo. Pois bem Carlito, estará em casa. Suas vergamotas (foto), como conhecemos aí no Sul (tangerina no sotaque carregado deles), estão por toda parte. Como sempre é o escolhido para guiar o carro em copas do mundo, restará saber quem ficará o responsável por "descascar" a fruta.

África do futuro


Temos que esclarecer algumas coisas ao leitor e ouvinte. Primeiro: Na África do Sul, o turista não vê leões assim como vê um novilho na beira de uma estrada no Brasil. E muito menos elefantes atravessam trilhos de trem. Claro que não. Outro detalhe: quando se fala em África a primeira imagem que vem na cabeça da maioria das pessoas é bichos e subdesenvolvimento, pobreza e miséria. O continente africano sofre sim com altos índices de desigualdade social e vem se reconstruindo aos poucos após uma longa luta contra a discriminação de origem étnica, social, religiosa e sexual. Países como Angola, Moçambique, Zimbábue e mais uma dezena, ainda não conhecem o desenvolvimento. Explico: coisas simples como necessidades básicas por exemplo: luz e água. Em algumas regiões o dia a dia das pessoas é muito complicado. A África do Sul difere-se. Um país com grandes indústrias de tecnologia avançada e exploradora de ouro e petróleo. Um país rico sim, que 91% da população são negros e quem não é rico é pobre. O nível de desigualdade social é assustador. Uma nação que tem como caracerística a luta, a necessidade de modificar-se perante o mundo e dar o salto para um futuro que parece alentador. Não vejo como um país desses não construir um horizonte sólido e paupável, de melhoria de vida para toda a população, com todo o entusiasmo dessa gente. O sorriso dessas pessoas é algo admirável. A receptividade e o calor humano é algo que jamais vi, e vai desde a garçonete a um vendedor ambulante. Estou escrevendo isso para você internauta, leitor (JM) e ouvinte (Vang FM), entender a importância da realização de um mundial de futebol. Esse será o grande momento da África mostrar ao mundo que aqui tem sim qualidades e desenvolvimento sustentável. Isso também poderá ser um trunfo para o Brasil em 2014, pois com todo o tempo que terá e com o espelho de fragilidades da África em termos de organização para a Copa, o Brasil passará de bunda, futebol e carnaval a um país visto e reconhecido por uma futura grande potência. A África de logo mais, certamente começa por cada uma dessas crianças da foto, que ao saberem que éramos brasileiros, suas professoras responsáveis pediram para registrar o momento. Aqui vai nossa homenagem a uma nação que merece sorrir ainda mais.

Bichos soltos


No parque em que acompanhamos a visita da seleção brasileira, após a comissão e jogadores deixarem o local, realizamos um safári rápido, tiro curto. Já tínhamos visto alguns bichos no parque nacional de Sun City, porém não tínhamos visto o principal: leões. Pois nesse até passar a mão conseguimos. Na foto uma visitação rápida de automóvel com os animais soltos pelo parque. Aparentemente os leões são dóceis, porém não dá para vacilar! Um deles brincou com o espelho de nosso carro e ainda ensaiou algumas "mordidinhas".

sexta-feira, 19 de junho de 2009

A seleção em safári


A Seleção Brasileira de Futebol esteve na tarde de hoje no Lion Park, em Johanesburgo, para realização de um safári. Após treino leve, os jogadores e a delegação saíram de Pretória em seu ônibus direto para a capital, distante 40km. Durante a visita ao parque estivemos acompanhando o passeio. O mais assediado, Kaká, após ser questionado sobre o ambiente na seleção, disse: "Aqui não cara, desculpe, aqui não". Perfeitamente compreensível visto o dia de folga da seleção. Atencioso fez fotos com todos que lá estavam como a exemplo dos demais jogadores. Orientados a não falar à jornalistas sem estar em coletivas, jogadores como o goleiro Victor do Grêmio chegou a comentar a classificação do clube à semifinal da Libertadores. Disse estar muito contente e na medida do possível de olho nos jogos. O sorridente Robinho e o tímido Alexandre Pato também posaram para fotos ao lado de alguns torcedores. O Brasil enfrenta no domingo a seleção da Itália, em Pretória.

Moeda desvalorizada

O Rand africano foi a segunda moeda que mais se valorizou nos últimos meses perante o dólar. A primeira? Acreditem: o Real. Pois bem, mesmo assim a moeda é desvalorizada em comparação com a nossa. É tudo muito barato, desde passagem aérea para vôos domésticos até um simples Mac Dnald’s. Para se ter uma idéia mais clara do que estou falando, um Big Mac aqui custa 8 reais, ou quase isso. Pagamos em Johanesburgo na tarde de hoje 33 rands, que dá mais uns quebradinhos. Em alguns locais chegamos a pagar 23. As roupas de grife esportiva como Nyke, Adidas e Puma também são um atrativo a parte para turistas brasileiros. Um valor bem abaixo do que pagamos no Brasil, e com um detalhe: Artigos originais. Acredito que não inflacione muito para 2010, ano de copa. Será uma verdadeira festa de vendas.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Poucos, bons e barulhentos!


São muito poucos torcedores vindos do Brasil para acompanhar a seleção brasileira. Como de costume, os brasileiros se concentram antes de cada jogo em algum restaurante ou bar nas imediações do estádio para confraternizar. Na tarde de hoje, já nas imediações do Loftus Versfeld, encontramos diversos torcedores de São Paulo, Minas e Rio de Janeiro. Entrevistei todos eles e sem excessão acompanham os jogos no estádio, ao contrário do que acontece em Copas do Mundo, que muitos vão para fazer farra e o futebol acaba ficando em segundo plano. O registro aqui da turma do Galosampa, abraço aos amigos, e a corintiano Barcelona, o cidadão que mais invadiu gramados no planeta todo. Em um bate papo descontraído que será reproduzido em breve na Vang FM, Barcelona, como é conhecido na Fiel, foi o protagonista da cena em que invadiu o campo na final da Toyota Cup, Japão em 2005, para entregar um Bamby de pelúcia a Rogério Ceni. Ele conta tudo isso na entrevista da Vang, e mais: promete invasão aqui na África do Sul! Os torcedores brasileiros recepcionaram o ônibus da seleção em sua chegada no estádio.

Só entusiasmo, não!


Uma infraestrutura precária maquiada com o padrão Fifa. Assim podemos definir o estádio Loftus Versfeld, em Pretória. Certamente a imagem transmitida para televisões do mundo todo mostram um estádio grande e imponente. Talvez o gramado seja realmente de padrão internacional, mas o restante em nada lembra algum estádio brasileiro em regulares condições de uso. A Copa do Mundo está aí e não sabemos qual será a estrutura que a Fifa exigirá. O que vale e muito é o entusiasmo do povo. Confesso que fico meio “ressabiado” em falar da falta de estrutura do país para sediar os jogos, e tudo isso devido ao carinho que estamos recebendo dos africanos. Um povo com um calor humano incomparável.


ATUALIZANDO: Itália perde para Egito e se vê na obrigação de vencer o Brasil e torcer por um tropeço do Egito diante dos Estados Unidos. Opinião do blogueiro: Itália fora.
Foto: Parte externa do Loftus Versfeld. Precariedade na infraestrutura.

Passeio em Pretória


A seleção brasileira passeou pelo Loftus Versfeld, em Pretória, para um público de 39600 pessoas. Do início ao fim dominou os americanos mesmo tendo quatro reservas na equipe. Dunga resolveu poupar jogadores e escalou Miranda, André Santos, Ramires e Maicon. Destaque para todos que provaram que a seleção tem grupo. A torcida empurrou e as cornetas incomodaram. Não sei quem teve a brilhante ideia de permitir aquele barulho no estádio. Irritante e ensurdecedor. A torcida vibrava com cada toque de Robinho e Kaká na bola. Mais uma festa. Até esse exato momento a Itália vai perdendo para o Egito por 1 a 0. Com esse resultado o Brasil garante a classificação e o primeiro lugar no grupo B. Vamos aguardar. Em seguida o resultado final e detalhes da infraestrutura africana.

Dia de confirmar


Tudo pronto para o jogo entre Brasil e Eua na tarde de hoje em Pretória. Com horário marcado para as 16h aqui, 11 da manhã no Brasil, a seleção brasileira vai a campo apenas com a dúvida de Juan. Os americanos precisam ganhar de qualquer maneira para não dar Adeus à Copa das Confederações. Jogo difícil? Nem tanto. Acho que o Brasil passa “frouxo e sacudido” e confirmará o primeiro lugar do grupo. Ao final da tarde atualizaremos o blog com matérias da partida. No detalhe da foto, Kléber cobrando lateral na estréia contra o Egito.

Em Pretória


Chegamos a Pretória na tarde de quarta, logo após partirmos de Sun City. Uma cidade cosmopolita e de grande desenvolvimento. Já não bastava a dificuldade para encontrar internet, agora meu micro resolveu não reconhecer mais o sinal weireless, sem fio. No Protea Hotel, onde estamos, está disponível o sinal nos quartos, mas eu sem conexão com a rede. O jeito foi procurar um cyber (foto) para atualizar o blog e enviar material para o Brasil. Não foi fácil para quem gosta de futebol como eu. No Brasil quartas de Libertadores e final da Copa do Brasil. Haja paciência para esperar o dia seguinte e conferir na internet os resultados. A coisa aqui em termos de tecnologia é tão ruim que mesmo em cybers a internet é muito lenta. Mais um quesito entre tantos que a África terá de aperfeiçoar.

Safári em Sun City


Quem vem para África não pode deixar de fazer um Safári. Já ouvimos falar muito disso no Brasil e agora reforço. Na tarde de quarta-feira, quando partíamos de Sun City para Pretória, paramos no parque nacional para realizar o passeio. Com nosso próprio carro e guiado por um mapa adquirido na entrada, fomos nós atrás da “bicharada”. No meio do parque encontra-se um centro com restaurantes e lojas para os turistas se deliciarem. Percorremos o parque por cerca de 3 horas e encontramos elefantes, girafas e alguns outros animais. Para decepção, os leões estavam dormindo em algum lugar. Vale à pena conferir o passeio que custa 80 rands, cerca de R$ 20,00.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Café da Manhã


Lembra muito os americanos. Se os africanos visitarem o Brasil certamente vão se apavorar com a quantidade de bolos, tortas, bolachas, doces e salgados do nosso café da manhã. Antes de partirmos para as imediações do estádio aqui em Bloemfontein, fomos surpreendidos pelo “leve” prato acima. Isso que dispensamos as linguiças e a reforçada no bacon. Qualquer avó justificaria que esse prato deixaria mais forte! Quem sabe Dunga não adota essa dieta aos seus comandados?

Pé na estrada. Estamos seguindo para Sun City, complexo turístico nas proximidades de Pretória, local dos próximos compromissos do Brasil em Pretória.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Festa espetacular


Uma verdadeira demonstração de receptividade. Assim foi a festa armada pelos africanos para receber o Brasil na estreia da Copa das Confederações. A verdade seja dita: torceram por ambos os lados, porém para eles, o futebol não passa de uma grande confraternização. Em local privilegiado no estádio, chegamos 20 minutos antes do início, assistimos ao jogo na quarta fileira, encostado ao gramado do Free State. A festa foi toda da torcida que não parou de gritar e se empolgar com a tradicional “Ola” puxada pelos brasileiros. Uma diversidade de povos se encontrou e dançou ao som de cantos típicos e gritos de guerra. No futebol, uma decepcionante apresentação. Robinho não embarcou para África e a seleção, após início entusiasmado, voltou para segunda etapa com ampla vantagem. Talvez aí esteja a explicação. Lembro sempre o que meu pai me ensinou. Parafraseando um grande jogador, se não me falha a memória Dom Elias Ricardo Figueroa, o pior resultado é ir para o intervalo vencendo por 2 a 0. Lembrei disso hoje. A vantagem gerou acomodação e o contra veneno. Não podemos desmerecer a seleção adversária. O Egito deu clara demonstração de que seu futebol evoluiu muito. Com jogadas envolventes fez o segundo e o terceiro em intervalo de minutos. Uma engrenagem muito bem armada pelo técnico e que certamente fará as seleções do seu grupo suarem, como o Brasil. Tivemos um Kaká esforçado e outro Robinho apagado. Esperamos que o futebol melhore. Logo mais Itália e Eua enfrentam-se em Pretória. Jogo bom para conferirmos o que vem pela frente. Ao final da tarde no Brasil estarei postando um vídeo com lances do estádio. Acesse e comente.
No vídeo abaixo um giro na galera e sua festa entusiasmada.

video

Manhã de movimentação


Por volta das 9h nos dirigimos ao Free State, estádio onde o Brasil inicia sua caminhada rumo à Copa do Mundo. A movimentação era grande e alguns torcedores ainda procuravam ingressos para a partida de logo mais. Fomos informados que a retirada dos tickets, ingressos, estava sendo realizada em um shopping próximo ao estádio. Nos dirigimos para lá e adquirimos os nossos até a final da competição. A fila já era grande e se estendeu por toda a manhã. (veja vídeo abaixo). Impressionante é a torcida dos africanos de Bloemfontein pela seleção brasileira e com um fato curioso: se o Brasil se classificar em primeiro do seu grupo, B, enfrentará nas semifinais o segundo do Grupo A, em Johanesburgo no dia 24 de junho. A torcida de Bloemfontein é que o Brasil vença hoje e bem, porém, se classifique como segundo do Grupo B. Assim o jogo da seminal será realizado aqui contra o primeiro do grupo A. O tempo é bom e a temperatura agradável para praticar futebol. Retorno mais tarde com todos os detalhes de Brasil e Egito. Entre 17 e 18 horas, ao vivo na Vang FM, contarei tudo que antecedeu a partida.

Agora é para o jogo.

video

Manhã inicia fria


Agora são 07h39min, horário local (02h39min horário do Brasil). Momento em que despertamos na pacata Bloemfontein no dia em que o Brasil inicia definitivamente sua reta final de preparação para mais uma Copa do Mundo de Futebol. Logo mais às 16h horário daqui (11h no Brasil), o Egito será o adversário no Free State, estádio de Rugby que localiza-se a poucas quadras de nosso hotel. Uma manhã como todas as outras: fria, porém com um sol acanhado que desponta prometendo um bonito dia. Daqui a poucas horas estarei nas imediações do palco do jogo trazendo as informações na programação da Vang FM. Poucos brasileiros se fazem presentes em Bloemfontein, mas toda a população, sem exceção torce pela seleção brasileira de futebol.
Na foto o registro do início da manhã desta segunda-feira, dia 15 de junho, de temperatura próxima aos 13 graus. A vista é de uma das janelas de nosso hotel.

domingo, 14 de junho de 2009

Quase Joel

Um empate com gosto de derrota para os africanos. A África do Sul de Joel Santana não saiu do zero com o Iraque na tarde de hoje em Johanesburgo. Estádio lotado e muita vibração marcaram a abertura dos jogos com uma grandiosa festa popular. Assisti apenas algumas partes do jogo, tanto do primeiro quanto do segundo tempo. No intervalo fui até um shopping center bem perto do hotel fazer um lanche. Na praça de alimentação dois televisores e dezenas de pessoas assistiam ao jogo. Cada lance perigoso gritos de gol, tamanha era a vibração dos africanos. Algumas chances perdidas no final deixaram o empate com gosto de derrota. Amanhã parte da torcida local estará torcendo pela seleção brasileira. Segundo o prefeito da cidade, Bloemfontein é Brasil na Copa das Confederações! Nesta segunda no Espaço Plural, contarei um pouco do dia a dia aqui, além de trazer toda a movimentação que antecede a estreia do Brasil.

FOTO: AFP

Terra da seleção


Após uma viagem de 03h45min, enfim chegamos à simpática Bloemfontein, localizada no coração da África. (ver vídeo abaixo). A capital judiciária do país e do Estado Livre de Orange é sede do parlamento regional. Com ares de modernidade, Bloemfontein mostra o porquê foi escolhida para sediar a Copa das Confederações. As obras estão a todo vapor em todos os lugares e o clima já é de futebol. A chegada aqui me lembrou Berlim, claro, em suas devidas proporções. Bati o olho e gostei do lugar, com ar acolhedor e aparentemente muito seguro. Enquanto procurávamos um local para ficar, reparamos um helicóptero sobrevoando a cidade atento a todo e qualquer movimento. Estamos hospedados em um hotel muito aconchegante, acolhedor e de trato familiar, muito similar a algumas pensões. Aprovado em todos os quesitos, porém quando perguntamos de conexão com a internet, o jovem responsável pela recepção foi logo avisando: “Bem vindos à África”. Segundo ele, dificilmente no interior do país se encontra conexões com a rede. Vamos nos comunicando como podemos com o Brasil e mandando matérias diárias através do blog, ou das ondas da 93. Amanhã o Brasil estreia na competição enfrentando o Egito com um público que promete lotar o Free State Sadium, um estádio de Rugby adaptado para o futebol. Bandeiras e material alusivo à Copa estão espalhados em todas as esquinas de Bloemfontein, ao contrário do que vimos até agora na capital Johanesburgo. Para Shop Car – Competência que gera segurança na Gilda Fialho 174, Dik Computadores e Utilidades Mil, Sul Lodi – Cerealista e Logística de Silvio Lodi em Marau e Vila Maria e Netur Viagens e Turismo, passagens aéreas nacionais e internacionais, de Bloemfontein, a sede brasileira na Copa das Confederações, mandaremos notícia amanhã no programa Espaço Plural. No vídeo abaixo, imagens de nossa chegada a Bloemfontein na tarde deste domingo.

video

Na estrada


Já havia comentado em um outro post, usado inclusive para a sessão Editorial do JM, sobre a melhor forma de conhecer um país, suas peculiaridades e a forma de vida de seus habitantes. O segredo é o interior, por onde se anda e o que se vê. A civilização e o nível de educação se enxerga fora dos grandes centros. O colega Carlito, ao longo de suas sete copas do mundo e dezenas de coberturas jornalísticas, defende a tese do “cheiro da cidade”. Segundo ele, é preciso caminhar e sentir o cheiro do local. Concordo plenamente e vou além: Defendo plenamente a idéia de fugir do tradicional e contrariar algumas lógicas. Ao alugar o automóvel sabíamos que estávamos por conta e risco. Pois bem, até aqui estamos surpresos com a diversidade desse país que tão bem recebe seus visitantes. Uma alegria só com uma atenção dispensada de maneira única. Partimos de Johanesburgo por volta das 09h15min (horário local), 04h15min no horário de Brasília, rumo a Bloemfonteim. No trajeto de cerca de 04h avistamos uma vegetação típica de estiagem, com propriedades rurais e algumas cabeças de gado. O terreno era típico de savanas, algo não muito comum nessa região. As estradas, algo extraordinário. Com alguns pedágios, pegamos três e no total pagamos cerca de 21 reais, uma malha asfáltica de dar inveja em qualquer país de primeiro mundo. Ao longo de toda a rota, inúmeros trabalhadores estavam operando máquinas na construção de e ampliação da rodovia N1, na qual transitávamos. E o detalhe, hoje é domingo. Aliás, obras é o que mais se vê por aqui. Sem dúvida a África do Sul se prepara para mostrar ao mundo suas potencialidades.

sábado, 13 de junho de 2009

Mudança de planos

A partir de amanhã, dia 14, início da Copa das Confederações, estaremos rumando para Bloemfontein em definitivo. Tínhamos reserva até terça em Johanesburgo e pensávamos assistir à estréia da África do Sul, porém a distância entre as duas cidades é muito maior do que imaginávamos. A escala do mapa que tínhamos em mãos é muito diferente do nosso GPS, que aponta distância de cerca 377km. Decidimos então acordar cedo e partir para assistir o último treino da seleção brasileira e ao jogo na segunda, estréia brasileira contra o Egito. Johanesburgo é uma cidade muito espalhada e grande, o que às vezes confunde o turista. Em algumas ocasiões achávamos que tínhamos chegado ao centro da cidade, porém não era nada disso. A cidade pulsa até as 18h, horário em que o comércio fecha suas portas e todos se recolhem. Comentávamos que é muito diferente de São Paulo, com trânsito intenso e vida noturna concorrida. Após o jogo contra o Egito, dormiremos em Bloemfontein ou redondezas, e seguiremos para Sun City, complexo turístico onde a Rede Globo filmou sua mais recente novela. Na sequência seguiremos para Pretória para acompanharmos a seleção no segundo confronto do torneio, contra os Estados Unidos. Diariamente o ouvinte da Vang FM fica sabendo todos os detalhes ao vivo aqui da terra dos leões em duas participações diárias. Deixe seu recado no mural do site ou nesse post. Vamos agradecendo a Dik Computadores e Utilidades Mil, Shop Car, Netur Viagens e Sul Lodi Logística que acreditaram neste trabalho da Vang e do JM. O futebol é sem dúvida uma grande paixão em qualquer lugar do planeta. Na tarde deste sábado aqui, encontramos no balcão do hotel um jovem perdido e que mal falava inglês. Ao conversar com nosso colega de viagem, o George, contou que era jornalista da Bulgária e estava na África para cobrir os jogos. O que um jornalista búlgaro faz em um torneio que sua seleção não disputa? Esse é o segredo do futebol. Através dele interagimos com as mais variadas culturas e vivenciamos experiências extraordinárias. No final ajudamos o jovem a alugar um automóvel. Sozinho, sem entender nada, porém com dinheiro no bolso. Assim acreditamos.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Tempero e exageros africanos


Nada fácil se adaptar com o fuso horário. Na tarde de hoje acabamos nos perdendo no tempo. Após uma longa viagem resolvemos descansar até umas 17h, horário local (meio dia no Brasil). Ao acordar nos deparamos com o anoitecer. Por volta das 17h30min já é noite na África do Sul. Acordamos e nos mandamos à procura de uma boa refeição. Chegamos à um dos shoppings existentes nas redondezas do nosso hotel. No cardápio uma série de pratos com preços bastante acessíveis e boa ilustração. Efetuamos o pedido e nos deparamos com esse prato da foto do post, um verdadeiro exagero por pessoa. Uma costela tão saborosa e que pelo tamanho não poderia ser de gado. Na saída, por questão de curiosidade, ficamos sabendo que era carne de porco com pitadas de pimenta. A culinária africana inclui muita pimenta e temperos picantes em seu cardápio. Perto daqui, em Blonfonteim, a seleção brasileira realizou um treino com presença maciça de público e muita tietagem. Ao chegar no hotel liguei a televisão e passava em um dos canais um jogo entre Brasil e Alemanha. Logo percebemos que tratava-se de uma partida realizada muitos anos atrás. O resultado foi 4 a 0 com gols de Zé Roberto, Ronaldinho Gaúcho e dois de Alex. O futebol brasileiro é muito apreciado por aqui. Amanhã de manhã, na programação da Vang FM, voltaremos a falar ao vivo daqui trazendo as primeiras movimentações da seleção. Acompanharemos o treino em Bloemfonteim. A todos uma boa noite e bom início de final de semana!

Em solo africano


A partir de hoje, estarei alimentando esse espaço com toda a movimentação dos africanos para a Copa das Confederações. Os últimos ajustes ainda estão sendo feitos e a primeira impressão que tive da África do Sul é que tudo está sendo pensado nos mínimos detalhes. Por aqui o favoritismo é da Espanha e o povo vibra com a idéia de ver de perto a seleção de Dunga. Desembarcamos por volta das 06h30min (horário local), 01h30min horário de Brasília. A temperatura lembrou o nosso Rio Grande: 6 graus. Para quem chega ao Aeroporto Internacional de Johannesburgo, o futebol é o assunto do momento em qualquer roda de conversa. Outdors gigantes e bancadas de informação sinalizam que a Copa vem aí. Me impressionou a infraestrutura da parte nova do aeroporto, construída especialmente para o mundial, e a receptividade do povo. No nosso hotel, um cidadão chamado Sam dava as boas vindas de forma risonha e afetuosa. Quando viu em nossa jaquetas Jornal de Marau, com um sotaque bastante carregado, me questionou o que era. Quando soube que éramos brasileiros logo veio o futebol e a amizade tava feita. Hoje, por volta das 17h30min, falo ao vivo na programação da Vang FM, contando um pouco mais da África, seu povo e seus preparativos.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Cobertura lançada em maio


video

Esse é o vídeo institucional de lançamento da cobertura da Copa das Confederações, projetando o mundial de 2010 na África do Sul. A partir do dia 14, todas as informações neste espaço, na programação da Vang e nas páginas do JM. Fique ligado!

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Curiosidades, imprensa e seleção


Nesse post vou abordar algumas curiosidades referentes a África do Sul destinadas a turistas, além de tratar de assuntos relacionados à imprensa e seleção brasileira. Desde que formatamos a idéia de estar presente na Copa das Confederações, como é de praxe para todo turista, busquei estudar um pouco do país como seus índices econômicos e sociais, além de trocar idéia com pessoas que por lá já estiveram. Através da internet ou contato direto com o consulado sulafricano no Brasil, descobri alguns dados que precisam ser levados muito a sério pelos visitantes do país. O índice de violência por exemplo é assustador. Vivendo um período de transformação social, os índices de desemprego e pobreza são muito altos, em algumas regiões a incidência de crimes é alarmante. Os principais guias de viagem voltado à turistas denominam a África como um país seguro para "visitantes que saibam tomar os devidos cuidados". Em grandes metrópoles como Johanesburgo, devido a falta de segurança e o transporte público ser precário, é aconselhável procurar passeios guiados. A segurança no país envolve o bom senso do turista.


****************

Dicas para viajantes

O turista brasileiro não precisa de visto para entrar na África do Sul. Basta apresentar certificado internacional de vacinação contra a Febre Amarela. Para isso é necessário apresentar na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a carteira de saúde e retirar a chamada "amarelinha", carteira que tem validade em toda parte do mundo. Na África do Sul, a água encanada é clorada e própria para consumo. Não é aconselhável ingerir água de rios ou montanhas de áreas muito populosas. Outra dica muito importante é ter bom senso na hora de se alimentar. A maioria dos restaurantes seguem padrões internacionais, porém existem uma parcela suspeita. Uma das doenças que precisa ter atenção redobrada para não correr riscos de contraí-la é a Malária, podendo ser evitada no cuidado com consumo da água e para banho.


**************

Imprensa e seleção

Estou achando tímido o anúncio da participação da imprensa nacional na cobertura da Copa das Confederações. A Rede Globo embarca rumo à África com oito profissionais mais equipe técnica. No estado, o Grupo RBS mandará também representantes para tratar a preparação para o mundial com um olhar mais regionalizado. Mas enquanto entramos nos últimos dias de preparação para os jogos, as eliminatórias chama atenção de todo o mundo. No sábado, após a quebra de tabú de mais de 30 anos sem vitória em território uruguaio com goleada estonteante, o Brasil mais uma vez credencia-se como favorito para a disputa da Copa das Confederações. Com EUA e Egito em sua chave, parece que o adversário mais complicado será a Itália, aquela mesma que os brasileiros enfiaram dois cocos no início do ano em amistoso. Particularmente, como crítico ferrenho de Dunga, "aprendiz de técnico" segundo o colega jornalista Paulo Santarém, não compreendo ainda os critérios de convocação do capitão do tetra. Se não me falha a memória, o São Paulo, e isso não sou eu quem está afirmando pois os números falam por si só, não teve nenhum jogador convocado para o selecionado brasileiro. Ora! O melhor clube e com o melhor elenco há três anos consecutivos, não ter nenhum jogador seu no atual elenco? Se o técnico fosse um paulista poderíamos até aventar a possibilidade da existência de alguns privilégios. Já Grêmio e Internacional, que disputam as competições mais importantes do ano em reta final, ficam sem seus principais jogadores. Goleiro Victor, o melhor do Brasil, como terceiro reserva, Nilmar é provável que seja reserva de Pato, ao contrário do titular absoluto Kléber. Não sei até quando conseguiremos aguentar Josué, Felipe Melo e mais uns dois ou três. Enquanto isso o futebol de Hernanes do São Paulo vai se apagando.

Foto: Seleção treina no Recife, Pato marca e sai na frente de Nilmar. (globoesporte)

sexta-feira, 5 de junho de 2009

South África


Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a África do Sul, país que sediará a Copa do Mundo de 2010 (obrigatoriamente o país sede do mundial é responsável pela organização da Copa das Confederações um ano antes), é mundialmente reconhecida pela sua tecnologia de ponta, riquezas naturais e uma série de quesitos que o impulsionam para um futuro bastante promissor. A partir de agora, diariamente até 11 de junho (data de nosso embarque para a cobertura da Copa das Confederações), procurarei esmiuçar um pouco os dados sociais, culturais e territoriais da nação do “povo arco íris de Deus”. Com tamanho aproximado da Espanha e França juntas, a África do Sul, além do alto desenvolvimento registrado após o apartheid, política de discriminação social (sistema legalizado de discriminação que manteve o domínio da minoria branca nos campos político, econômico e social), tornou-se referência nas comunicações e um grande exportador de ouro e petróleo. Muitos especialistas afirmam existir dois mundos dentro da África do Sul: o primeiro e o terceiro, tamanha é a diferença social entre os povos. Com 11 línguas oficiais, o inglês é a mais falada, os sul africanos encontram facilidades na música e esporte. Com pouca oferta de emprego a diferença social entre os sul africanos vai aumentando. Ou são ricos ou são pobres, não sendo muito comum a existência dos “classe média”. As belezas naturais são diversas e começam a atrair olhares do mundo todo. A diversidade de ambientes, desde a árida paisagem lunar do nordeste ou os campos floridos de Namaqualand, a África do Sul espera usar da popularidade do futebol e o privilégio de sediar os jogos, para impulsionar ainda mais suas riquezas e desenvolver questõs ainda desfavoráveis. Localizada ao sul do continente, o território tem o orgulho de ser o único país do mundo em ter um reino floral inteiro. Nos próximos posts falaremos sobre transporte, fuso horário e assuntos ligados à segurança no país da copa.
Na foto, Pretória - Capital administrativa da África do Sul.


Faltam 370 dias para a Copa do Mundo 2010.
09 dias para a Copa das Confederações.

terça-feira, 2 de junho de 2009

A caminho da Copa



Está chegando a hora da bola rolar para todo o planeta. O ano de 2009 reserva um pequeno aperitivo do que virá pela frente. Em uma semana que recebemos uma notícia tão importante quanto à escolha do Brasil para sediar o mundial de 2014, a escolha das cidades sedes da próxima copa, deixou os brasileiros em clima de êxtase. O país do futebol, que na minha opinião perdeu esse título há algum tempo (baseado na experiência que tive em 2006 em cobrir a Copa da Alemanha), se prepara de uma vez por todas para arregaçar as mangas. É hora de obras e do upgrade em toda sua infraestrutura. Não vejo como a nação não ganhar com os caminhões de investimentos que aqui desembarcarão. Muitos afirmam: Com a falta de seriedade o superfaturamento estará a solta... Com a construção de ferrovias, hotelaria, estádios, rodovias e melhoria na parte social, que terá de ser feita, o país pode sim desenvolver características visíveis de primeiro mundo. Na Alemanha em 2006, minha primeira experiência longe da exploração dos pacotes turísticos, estive participando da cobertura para Vang e JM com o colega Carlito (sétima copa). Viajamos juntamente com outros amigos até o centro de informações e de maior credibilidade de um país: seu interior. Alugamos um automóvel e por lá transitamos em toda sua extensão e em alguns países vizinhos como Polônia, República Tcheca, Áustria e Eslováquia. Exploramos todo leste europeu, da gigante e consolidada Alemanha às nações emergentes. O povo alemão deu aula de como preparar-se para um mundial. Do frentista à crianças de 10 ou 12 anos, TODOS falavam inglês com fluência. Essa é uma melhora indiscutível em uma sociedade que almeja um lugar entre as potências do planeta. Haverá preparação. Essa é a chave. Para isso é necessário investimentos e em contra partida os dólares retornam em forma de turismo. Assim podemos traçar um futuro promissor para uma promissora potência. Estou contente com a escolha das sedes do mundial de 2014, principalmente por Porto Alegre e Curitiba. O sul mostra sua força e nos coloca cada vez mais no epicentro do maior evento esportivo do planeta.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Preparando o caminho

Esse é o objetivo a partir desta postagem. Está chegando a hora do aperitivo... É assim que o mundo encara a Copa das Confederações, de 14 a 28 de junho deste ano. Seguindo a tradição de coberturas internacionais em Copas do Mundo de Futebol, a Vang e JM decidiram inovar. Os mistérios do continente africano, seus costumes e tradições e sua estreita ligação com o futebol, nos moveu à averiguar o terreno. Dia 11 parto rumo ao país onde alimentarei diariamente esse espaço, a programação da Vang FM com participações ao vivo e as páginas do semanário JM/Jornal de Marau. Será uma pequena prévia. Os ajustes finais do que estamos preparando para leitores e ouvintes. Você, a partir de agora, poderá interagir ainda mais com nossos veículos. Poste seu comentário, critique, questione e sugira. Esse espaço é de todos e para todos, desenvolvido única e exclusivamente para trocarmos uma idéia do que o mundo do futebol e sua cultura, reservam à todos a partir de 2010!